Ser pobre é grudar o restinho do sabonete velho no Palmolive novinho que voce acabou de abrir....

veja todos os voos de drone em

www.Zmaro.tv/Drone

 

 

Mais
acessados

Principal

Modelos de
Documento

Receitas

Resumos
de Livros

 Perguntas e Respostas
 Jurídicas

Idéias para
ficar rico

Dicas gerais

Dizem que

Ser pobre é


Memorização

Curso de Memorização

Memorização:
que dia cai?

Demais
Cursos e
apostilas


Gastronomia

carnes

bacalhau

dicas gerais

microondas

 receitas diversas

Receitas

em vídeo

tudo sobre congelamento

vinhos


Download

delivery

palpites para loteria

simulador keno (bingo)

treine digitação

ringtones de graça

Saiba quais números
mais e menos saem
na MEGASENA


Contato

Fale com o Zmaro
e/ou
PobreVirtual

Site do
Programa Zmaro

Vídeos do
Programa Zmaro
Humor inteligente
de forma descontraída...

 
Ação de Indenização em Rito Sumário por Acidente de Trânsito


Petições - Ações Indenizatórias
O acidente de trânsito foi causado pela culpa exclusiva do réu que veio colidir com a parte traseira do veículo da autora que estava parado em semáforo.



EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA .... ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....



...................................., (qualificação), pelo Advogado e Procurador que a presente assina, Dr. ...., com escritório profissional na Rua .... nº ...., vem, respeitosamente, à presença de V. Exa., com base na lei adjetiva em vigência, propor a presente

AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS, Causado em ACIDENTE DE VEÍCULO, pelo procedimento SUMÁRIO, em face a


............................., (qualificação) e ...., (qualificação), pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir aduzidos:


DOS FATOS

01) No dia ..../..../..., por volta das .... hs, no cruzamento da Rua .... e Rua ...., a Autora teve seu automóvel ...., cor ...., placas ...., chassi ...., abalroado pelo automóvel ...., tipo ...., placas ...., de propriedade da Ré e no ato conduzido pelo segundo demandado.

02) A Autora, deslocava-se pela Rua .... e, no cruzamento com a Rua ...., tendo em vista a existência de semáforo, parou, pois o mesmo estava fechado.

Um terceiro, que encontrava-se também parado no local, porém, sendo o primeiro a sair, adentrou o sinal fechado, Por consequência, todos os veículos que estavam parados, aguardando o sinal abrir, avançaram alguns metros, porém, o segundo demandado, condutor do veículo ambulância, EM UM ATO INJUSTIFICADO, lançou o automóvel sobre o veículo da Autora, atingindo a parte traseira, ocasionando danos materiais.

03) Em razão da colisão, sofreu a Autora, os danos econômicos descritos no doc. 06/08, na importância de R$ .... (....), datado de .../.../..., emitido pela Concessionária ....

04) O evento ocorreu por culpa exclusiva do condutor da ambulância, que com manifesta IMPRUDÊNCIA, NEGLIGÊNCIA e IMPERÍCIA, sem tomar as precauções que o local e as circunstâncias momentâneas exigiam e pertinentes a um bom condutor, veio a chocar-se contra o veículo parado aguardando abrir o semáforo.


DA IMPRUDÊNCIA

Foi imprudente o motorista da ambulância, por ter conduzido seu veículo com arrojo, afoitamente face as circunstâncias momentâneas e locais.

O local dos fatos, é área central da cidade, onde existe um grande tráfego de veículos e pessoas, logo, lhe competia, como um bom condutor, tomar todas as precauções necessárias para evitar o acidente.

Com sua atitude, incorreu em uma desatenção culpável, lesando o patrimônio alheio.


NEGLIGÊNCIA

É negligente, por desprezar, desatender não ter o cuidado necessário para a prática do ato.

Faltou-lhe as diligências necessárias para a execução do avanço no semáforo, omitiu-se, inobservou as regras básicas que o dever lhe impunha como motorista.


DA IMPERÍCIA

Agiu imperitamente, por ter realizado a condução de seu veículo com ineficiência, talvez por erro ou engano, por não ter agido com a habilidade necessária que as circunstâncias exigiam.

Foi imperito, por não ter conseguido segurar a ambulância, logo lhe competia a eficiente ação de parar o veículo no local e distância regulamentar, porém, nada disso fez, tornando-se, portanto, a qualquer sorte imperito.

05) Quando do evento, o condutor da ambulância, segundo demandado, assumiu toda a responsabilidade, inclusive, houve até acerto para que no dia seguinte, a Autora comparecesse no endereço da Ré, para receber o montante dos danos, uma vez que necessário era a exibição do orçamento.

Inúmeras foram as vezes, que a Autora tentou a composição amigável, sem com isto, lograr êxito, viu-se obrigada a recorrer a tutela jurisdicional.

06) Conforme demonstra o contido nos documentos inclusos, doc. 06/10, dois orçamentos emitidos por CONCESSIONÁRIAS AUTORIZADAS, cujos valores para reparação do dano, importam em R$ .... (....) e R$ .... (....) orçamentos datados de .../.../... e .../.../..., respectivamente.


DO PEDIDO

07) Diante do exposto, REQUER:

a) o recebimento com a determinação dos demais trâmites legais;

b) a citação da Ré na pessoa de seu Representante legal e o Réu pessoalmente, no endereço inicialmente declinado, para que caso queiram de forma conjunto ou individual, contestem a presente ação sob pena de revelia;

c) a produção de todo o gênero de provas em direito admitido, em especial, o depoimento pessoal do Representante legal da Ré e do Réu, sob pena de confissão, oitiva das testemunhas arroladas, perícias, avaliações, juntada de documentos e outras provas necessárias;

d) o julgamento pela procedência da presente ação, condenando os Réus solidários ou individualmente, ao pagamento de R$ .... (....), referente aos prejuízos econômicos sofridos pela Autora, em decorrência do ato praticado pelo segundo demandado com o veículo da Ré, acrescidos de juros e correções legais, desde ..../.../..., até a data do efetivo pagamento, mais custas, despesas, sucumbência e honorários advocatícios na ordem de 20% sobre o valor da condenação e demais condenações de estilo;

Dá-se a causa o valor de R$ .... (....), para efeitos fiscais.

Nestes termos,

Pede Deferimento.

...., .... de .... de ....

..................
Advogado OAB/...

 

Clique abaixo para ver um pouco do Programa Zmaro
Humor inteligente de forma descontraída...

 

De grão em grão a galinha enche o bico!!!
Contribua com o PobreVirtual e Programa Zmaro. Curta, comente e compartilhe o Programa Zmaro nas suas redes sociais.
Envie seus resumos, receitas, dicas, provérbios e o que mais tiver para comaprtilhar no PobreVirtual e no Programa Zmaro. Basta acessar
www.pobrevirtual.com.br/fale
Ou se preferir você pode contribuir financeiramente depositanto qualquer valor em qualquer lotérica (Caixa Econômica Federal): agência 1998, operação 013, Poupança número 8155-0, ou veja outros meios em www.Zmaro.tv/doe 
Livros e cursos são caros, me ajude a aprender novas linguagens para lhe ensinar melhor e incrementar este site com várias novidades. Quando você passar em frente a uma lotérica, lembre-se que existe alguém que precisa muito desta(s) moedinha(s), ponha a mão no bolso e perca alguns segundos do seu tempo e faça um depósito. Pegue aquela moedinha que vai acabar caindo do seu bolso e dê um bom destino a ela.