Ser pobre é fazer academia em vez de lipo......

veja todos os voos de drone em

www.Zmaro.tv/Drone

 

 

Mais
acessados

Principal

Modelos de
Documento

Receitas

Resumos
de Livros

 Perguntas e Respostas
 Jurídicas

Idéias para
ficar rico

Dicas gerais

Dizem que

Ser pobre é


Memorização

Curso de Memorização

Memorização:
que dia cai?

Demais
Cursos e
apostilas


Gastronomia

carnes

bacalhau

dicas gerais

microondas

 receitas diversas

Receitas

em vídeo

tudo sobre congelamento

vinhos


Download

delivery

palpites para loteria

simulador keno (bingo)

treine digitação

ringtones de graça

Saiba quais números
mais e menos saem
na MEGASENA


Contato

Fale com o Zmaro
e/ou
PobreVirtual

Site do
Programa Zmaro

Vídeos do
Programa Zmaro
Humor inteligente
de forma descontraída...

Atualidades: Um pouco com o tema: pesquisas...
Quando comparados com habitantes de alguns dos principais países do mundo, os brasileiros demonstram um alto nível de confiança na publicidade. Os dados são de uma pesquisa sobre Confiança na Publicidade que a Nielsen fez pela internet com 25 mil pessoas de 50 países, sendo 501 delas no Brasil.
Um dos aspectos do estudo analisou o quanto as pessoas confiam em publicidade em cada uma das mídias. Os anúncios em revistas, por exemplo, recebem a "Total Confiança" de 19% dos brasileiros, contra 10% dos argentinos, 5% dos norte-americanos, chineses e franceses, e 3% de japoneses e britânicos. Do mesmo modo, 57% dos brasileiros "Confiam de alguma maneira", contra índices parecidos em outros países. Os mais céticos estão na França, onde 42% "Não Confiam Muito" e 14% "Não Confiam Nada".
Essas quatro escalas (entre aspas) foram aplicadas às outras mídias. Em anúncios de jornal, 17% dos brasileiros confiam completamente, o melhor índice na comparação com os países citados. A média global para esta escala foi de 7%. Em spots de rádio, 14% dos brasileiros também confiam completamente, contra somente 3%, por exemplo, de Estados Unidos e Japão. A publicidade em mecanismos de busca é totalmente confiável para 9% dos brasileiros, e confiável em parte por 53% deles, sendo que somente 5% não confiam nada.
Os franceses, por exemplo, tem 19% de pesquisados que não confiam nada, e apenas 2% dos norte-americanos e britânicos confiam totalmente. As peças de outdoor são completamente confiáveis para 13% dos brasileiros, contra 4% de norte-americanos, franceses e britânicos e mero 1% dos japoneses.A mídia que atrai a maior parte dos investimentos em publicidade no mundo, a televisão, traz resultados ainda melhores para o anunciante daqui. É de 21% a proporção de brasileiros que confia totalmente nos comerciais e 57% os que confiam em parte. Somente 19% não confiam tanto e 4% não confiam nada.
Como base de comparação, nos Estados Unidos somente 6% confiam totalmente, e na França e Japão o índice cai para somente 5%. Mas ninguém supera os britânicos em ceticismo, com 4% de confiança total.

BOCA A BOCA: 90% dos consumidores confiam nas recomendaçoes de conhecidos, segundo a pesquisa Nielsen Global Online Consumer Survey que ouviu 25,000 pessoas em 50 países, Brasil incluído. 70% dos entrevistados responderam que confiam nas opinioes de outros usuários que lêem na internet. O estudo indica que a confiança dos consumidores no boca a boca cresceu significativamente. E mostra também que praticamente todos os formatos de publicidade avançaram em termos de confiança dos consumidores - exceto anuncios em jornais.

Outra...
A Nielsen divulgou uma pesquisa que mostra as principais preocupações dos consumidores brasileiros. Entre os temas mais citados na Pesquisa Global Nielsen sobre a confiança do consumidor está o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, além de estabilidade profissional, saúde, educação dos filhos e aquecimento global.
A pesquisa foi feita entre 19 de março e 2 de abril envolvendo 25.410 internautas de 50 países. O equilíbrio entre trabalho e vida pessoal é a preocupação de 25% dos brasileiros, o que mostra um declínio de 7% em relação a 2008. Quanto à estabilidade no emprego, o Chile apresenta o maior índice de habitantes receosos (44%), enquanto colombianos e mexicanos representam 41% cada. Para 35% dos brasileiros esta é a maior preocupação.
Na América Latina o Brasil apresenta maior preocupação com relação à saúde (16%), seguido pelos chilenos com 15%. Outro dado confirma que a educação assim como o sustento dos filhos é o fator de primeira ou segunda maior preocupação dos brasileiros já que 19% dos consumidores destacaram este quesito.
A preocupação com o aquecimento global é apontada por 9% dos brasileiros e este é o índice mais alto entre todos os países consultados. No que diz respeito ao preço dos alimentos para o próximo semestre, a Venezuela e a Argentina são os países mais preocupados e apresentam 16%. No México são 14%, 11% no Chile, 10% na Colômbia e no Brasil 8%.
A crise econômica parece não estar mais incomodando os brasileiros porque apenas 23% deles citaram o tema. Neste quesito os colombianos aparecem com 34% enquanto no Chile o percentual é de 18%

Outra...
Crianças representam 9,5% dos usuários de internet:
Crianças estão mais conectadas e mais rápidas do que seus pais e irmãos mais velhos, segundo indica uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (7). Um novo estudo conduzido pela empresa de estatísticas norte-americana Nielsen aponta que aproximadamente 16 milhões de crianças com idade entre dois e 11 anos estiveram on-line em maio nos EUA. Eles representam por volta de 9,5% dos usuários de internet no país.
As mais jovens do grupo, cuja idade está entre 2 e 4 anos, provavelmente não fazem atualizações em seu Twitter ou postam resultados de testes em seus Facebooks. Mas, excessivamente, as crianças são presença mais frequente em frente ao computador, aumentando a exposição à internet, diz Peter Grunwald, presidente da Grunwald Associates LLC, especializada em estudos da relação entre crianças e tecnologia.
Nos últimos cinco anos, o número de crianças on-line cresceu 18%, comparado com apenas 10% de crescimento entre os usuários da internet em geral. No total, o tempo que crianças passam on-line cresceu 63% nos últimos cinco anos.
A Nielsen também identificou que garotos passam 7% mais tempo on-line do que as garotas --mas as meninas passam 9% mais tempo em páginas do que garotos.
Segundo Grunwald, as crianças também estão produzindo conteúdo, em vez de usarem a internet como espectadoras passivas.

Outra...
Marketing corintiano:
As declarações do atacante Ronaldo sobre qual a maior torcida do Brasil no programa "Bem, Amigos!", do Sportv, nesta última segunda-feira, seguem causando polêmica.
Na ocasião, o jogador duvidou da veracidade das pesquisas que apontam o Flamengo como o time de maior torcida do país. Para Ronaldo, o Corinthians detém o maior número de torcedores.
Porém, a posição do próprio Corinthians vai contra a opinião do Fenômeno. Alex Watanabe, assistente de marketing corintiano, informou que o clube do Parque São Jorge está ciente de que não tem a maior torcida.
– A gente sabe que a torcida do Corinthians não é a maior. Todas as pesquisas apontam isso, mas não estou dizendo que discordo do Ronaldo – disse Watanabe.

veja os vídeos do Programa Zmaro: Humor inteligente de forma descontraída. Acesse www.Zmaro.com.br

 

Clique abaixo para ver um pouco do Programa Zmaro
Humor inteligente de forma descontraída...

 

De grão em grão a galinha enche o bico!!!
Contribua com o PobreVirtual e Programa Zmaro. Curta, comente e compartilhe o Programa Zmaro nas suas redes sociais.
Envie seus resumos, receitas, dicas, provérbios e o que mais tiver para comaprtilhar no PobreVirtual e no Programa Zmaro. Basta acessar
www.pobrevirtual.com.br/fale
Ou se preferir você pode contribuir financeiramente depositanto qualquer valor em qualquer lotérica (Caixa Econômica Federal): agência 1998, operação 013, Poupança número 8155-0, ou veja outros meios em www.Zmaro.tv/doe 
Livros e cursos são caros, me ajude a aprender novas linguagens para lhe ensinar melhor e incrementar este site com várias novidades. Quando você passar em frente a uma lotérica, lembre-se que existe alguém que precisa muito desta(s) moedinha(s), ponha a mão no bolso e perca alguns segundos do seu tempo e faça um depósito. Pegue aquela moedinha que vai acabar caindo do seu bolso e dê um bom destino a ela.