Ser pobre é: juntar moedas em cofrinhos plásticos e depois quebrar pra pegar as moedas porque precisou de trocados para comprar pão... 
  

Publicidade

 
 
 
 
 
 
Fake - O agregador de links mais Original da Net 


Busque em todo o site
com o Google

 

MAIS ACESSADOS
no PobreVirtual

  receitas diversas
  
resumo de livros
  modelos de documentos 
  classificados
  anuncios TROCA-TROCA 
  memorização: Aula 1
   quiz do PobreVirtual  
  idéias para ganhar dinheiro 
  e muito mais (veja abaixo)

 

    página principal (home) 

Encontrou um chaveiro?
Informe o código:

Cadastro
  cadastre-se (gratis) 
  meus chaveiros  
  meus sorteios  
  alterar dados 
Classificados
  anunciar
  classificados
  meus classificados
Cursos e Apostilas
  Perguntas e Respostas Jurídicas
  universidade on-line
  memorização: Aula 1
  memorização: Que dia cai?
  demais cursos e apostilas
  resumo de livros <<
Download
  delivery
  palpites para loteria
  simulador keno (bingo)
  treine digitação
  Jogo Perguntas & Respostas
Emprego
  cadastro
  balcão de empregos
  concursos
  dicas gerais
Fórum
  fórum remunerado
Entretenimento
  imagens interessantes 
  campainhas para celular 
  datas comemorativas 
  dizem que...  
  games do PobreVirtual  
  idéias para ganhar dinheiro 
   papeis de parede 
  modelos de documentos 
  pensamento positivo 
  quiz do PobreVirtual 
  letras de musicas 
  ser pobre é...
  textos em MP3
  AudioBook
  todos os posts
  todos os posts (só títulos)
Gastronomia
  carnes
  bacalhau
  dicas gerais (novidades!!!)
  microondas
  receitas diversas <<<<
  tudo sobre congelamento
  vinhos
Orkut
  Imagens e afins para scraps
Poesias
  poesias e afins
  enve a sua
TROCA-TROCA
  anunciar
  meus anuncios
  anuncios TROCA-TROCA
Venha
  ajude/divulgue
  PobreVirtual no seu site
  fale comigo
  junte-se
(cadastre-se GRATIS!!!)
 
Busca do PobreVirtual
Procurar por:



 


Receba o Informativo do Pobrevirtual
Informe seu e-mail abaixo

Inscrever  Desinscrever
Quiz
Qual a parte do corpo que mais coça? 
Clique aqui para ver a resposta


Últimos posts

Aprenda como se faz cachaça! + Marquinhos Moura e muito mais - Programa Zmaro 13
16/08/2014 7:06 AM
Rancho Sertanejo (administração), Leonardo Benice (Viner) e muito mais - Program
09/08/2014 8:18 AM
Zmaro Musical - Horlindo s01 E07
04/08/2014 1:00 PM
Cesar e Rodrigues, Nosso Lar, J Neto e Dileno e muito mais... Programa Zmaro 133
02/08/2014 9:12 AM
Zmaro Musical s01 e06 - Luiz Fernando
01/08/2014 3:36 AM
Regis e Ricardo, Moitinha e muito mais - Programa Zmaro 132
26/07/2014 10:34 AM

mais posts

ou

clique aqui para mais

Google

últimos pedidos...
Nome: Alaide Teixeira Beserra
Mensagem: Ser pobre é ficar até onze horas da noite na porta da padaria com fome e com frio esperando acabar o expediente para você ganhar as sobras.
Nome: Maria Amelia Ribeiro Lima
Mensagem: Preciso de modelo de contestação em ação de cobrança de consignado, pois fiz um empréstimo consignado p pagar em 5 anos no ato da minha aposentadoria no Bradesco, porem 9 meses depois o INSS suspendeu a minha aposentadoria, fiquei dois anos sem pagamento, porem fui ativada novamente, então voltou a descontar o empréstimo, agora o banco quer receber os atrasados, mas n tenho condições de pagar o atual e os atrasados, então quero contestar p ganhar tempo e talvez um possível acordo nas minhas condições, será que pode me ajudar?
Grata Maria Amelia
Nome: eliane arruda
Mensagem: resumo do livro Uma nova metodologia de educaçao pré escolar 7ºediçao são paulo pioneira 1993
Nome: eliane arruda
Mensagem: resumo do livro Uma nova metodologia de educaçao pré escolar 7ºediçao são paulo pioneira 1993
Nome: Carlos Eduardo
Mensagem: Necessito de um "Termo de Aval" para anexar aos boletos de cobrança
Obrigado
Nome: guilhermina ramos
Mensagem: Gostaria que vc elaborasse uma carta solicitando aos educadores das universidades para oferecer-me um curso de pós graduação na área de psicopedagogia a distância e gratuito para desenvolver aqui no meu município um trabalho voltado para os alunos carentes em sua maioria e que apresentam problemas de aprendizagens.Sou uma professora com carga horaria de apenas 20 horas com um salário de 834,00 e que não tenho condições de pagar esse curso que tanto almejo. O curso seria gratuito e a distância porque moro no semiárido da Bahia,isto é no interior sertanejo da Bahia e o ensino aprendizagem aqui está bem deficitário, e por isso que o meu sonho era ajudar essas crianças com idade/série defasada e que necessitam de um acompanhamento de um psicopedagogo. O meu trabalho seria gratuito para atender todas as crianças carentes do meu município. Ficarei muito grata se vocês elaborassem essa carta para mim. desde já agradeço com um Deuslhe pague.
Nome: meyre ribeiro valle
Mensagem: resumo da obra o que pedagogia de paulo ghiraldelli jr
Nome: rosana de j r lima
Mensagem: ola, boa tarde! gostaria de saber se realmente e 100% seguro. bjs
Nome: Luiz Alves de Lima
Mensagem: Srs Gostaria de saber como proceder para anun-
ciar no Pobre virtual ;

Atenciosamente Luiz
 
clique aqui para ver mais

 

 

 
Resumo de Livros do PobreVirtual

I-Juca Pirama - Gonçalves Dias

I – JUCA PIRAMA típico herói romantizado, perfeito, sem mácula que desperta bons sentimentos no homem burguês leitor O VELHO TUPI simboliza a tradição secular dos índios tupis. É o pai de I – Juca Pirama OS TIMBIRAS índios ferozes e canibais O VELHO TIMBIRA narrador e personagem ocular da estória Neste momento faço a citação de uma síntese muito bem - elaborada pelo prof. Deneval S. Azevedo Filho: Um "eu narrador " conta as lembranças de um velho índio Timbira que, também com status de narrador, num clima trágico e lírico, narra a história do último guerreiro tupi l-Juca-Pirama_ remanescente de sua tribo em conjunto ao pai, um velho chefe guerreiro cego e doente. O herói tupi é feito prisioneiro pelos Timbiras, guerreiros ferozes e canibais. Antes de ser morto, do guerreiro tupi é exigido que entoe o seu canto de morte, cantando seus leitos, sua bravura e suas aventuras, pois a sua coragem de guerreiro e a sua honra - acreditavam os Timbiras - passariam para todos que, depois do rito de morte, comessem as partes do seu corpo. I-Juca-Pirama conta sua história, fala de sua bravura, das tribos inimigas, das suas andanças, de lutas contra Aimorés, mas, pensando no pai cego e doente, velho e faminto, sem guia, pede que o deixem viver. ("Deixai-me viver! - canto IV).

Seu ato é interpretado como covardia e o chefe dos Timbiras ordene que o soltem (Soltai-o – canto V ) e depois de ouvir o guerreiro, ordena-lhe: "És livre; parte.". O guerreiro tupi promete-lhe que voltará depois da morte do pai. No canto VI, de volta ao pai, o herói, que foi preparado para o ritual, conversa com o pai cego que sente o cheiro forte das tintas que haviam sido passadas no corpo do prisioneiro, tintas próprias dos rituais de sacrifício. Destarte pergunta ao filho: _"Tu prisioneiro, tu?". E ao ficar sabendo pelo próprio filho o que acontecera, desconhecendo o verdadeiro motivo de sua volta (zelar pelo pai doente), o velho leva-o de volta aos Timbiras e o maldiz, rogando-lhe pragas e desejando-lhe que nem a morte o receba. O filho reage e resolve mostrar que não é covarde. Grita "Alarma! alarma" o seu grito de guerra. O velho escuta, tomado de súbito pela reação do filho que luta bravamente, golpeando inimigos e destruindo a tribo timbira até que o chefe lhe ordena "Basta!". A honra do herói é então recuperada. Chorou pelo pai o moço guerreiro. E ao ser mal interpretado lutou como um bravo "valente e brioso". Realmente é uma bela estória, não é mesmo? Certamente você já deve ter visto filmes hollywoodianos com um enredo bem menos criativo. No Brasil acredita-se que a alta cultura não é acessível ao popular e desta forma surge uma discriminação às avessas_ de baixo para cima. O leitor no Brasil recebe alcunha de alienado e pasmem ignorante de sua própria realidade! Observe como a estória descrita acima é de um enredo extremamente popular, para não dizer até apelativo. Como é claro compreender que o aluno é um agente de mudanças, carecemos que você leia a obra para que possa vivenciar o quão grandiosa é a arte brasileira. Bem, continuemos a tratar do resumo: · TEMA O índio adequado a um forte sentimento de honra, simboliza a própria força natural do ameríndio, sua alta cultura acerca de seu povo representado no modo como este acata o rígido código de ética de seu povo. O índio brasileiro é um clone do cavaleiro medieval das novelas européias românticas como as de Walter Scott. · ENREDO E CANTOS O poema nos é apresentado em dez cantos, organizados em forma de composição épico – dramática. Todos sempre pautam pela apresentação de um índio cujo caráter e heroísmo são salientados a cada instante. Há muita musicalidade haja visto o título acima ( Cantos ) por isto o vestibulando deve sempre estar atento para as medidas poéticas ( decassílabos e alexandrinos ) isto poderá ser tema de questão no vestibular. Veja abaixo uma tabela auto - explicativa de cada canto: Enredo Apresentação e descrição da tribo dos Timbiras Apresentação do guerreiro tupi – I – Juca Pirama I- Juca Pirama aprisionado pelos Timbiras declama o seu canto de morte e pede ao Timbiras que deixem-no ir para cuidar do pai alquebrado e cego. Ao escutarem o canto de morte do guerreiro tupi, os timbiras entendem ser aquilo um ato de covardia e desse modo desqualificam-no para o sacrifício . O filho volta ao pai que ao pressentir o cheiro de tinta dos timbiras que é específica para o sacrifício desconfia do filho e ambos partem novamente para a tribo dos timbiras para sanarem ato tão vergonhoso para o povo tupi Foco narrativo em terceira pessoa. · CRÍTICA Como a obra é indianista e é muito fácil caracterizar isto pelo léxico utilizado, o aluno não terá o que temer para identificar o estilo na hora da prova_ vale ressaltar a musicalidade dos versos que é uma característica típica de Gonçalves Dias. O poema I–Juca Pirama nos dá uma visão mais próxima do índio, ligado aos seus costumes, convenhamos dizer que ainda é muito idealizado e moldado ao gosto romântico. O índio integrado no ambiente natural, e principalmente adequado a um sentimento de honra, reflete o pensamento ocidental de honra tão típico das novelas de cavalaria medievais_ é o caso do texto Rei Arthur e a Távola Redonda. Para melhor explicitar o exposto acima, citamos na íntegra fragmento do comentário feito em Literatura Comentada - Gonçalves Dias, da Abril, p. 1011 Se os europeus podiam encontrar na Idade Média as origens da nacionalidade, o mesmo não aconteceu com os brasileiros. Provavelmente por essa razão, a volta ao passado, mesclada ao culto do bom selvagem, encontra na figura do indígena o símbolo exato e adequada para a realização da pesquisa lírica e heróica do passado. O índio é então redescoberto. Embora sua recriação poética dê idéia da redescoberta de uma raça que estava adormecida pela tradição e que foi revivida pelo poeta. O idealismo, a etnografia fantasiada , as situações desenvolvidas como episódios da grande gesta heróica e trágica da civilização indígena brasileira, a qual sofre a degradação do branco conquistador e colonizador, têm na sua forma e na sua composição reflexos da epopéia. da tragédia clássica e dos romances de gesta da Idade Média. Assim o índio que conhecemos nos versos bem elaborados de Gonçalves Dias é uma figura poética, um símbolo. Gonçalves Dias centra I – Juca Pirama num estado de coisas que ganham uma enorme importância pela inevitável transgressão cometida pelo herói, transgressão de cunho romanesco (o choro diante da morte) que quando transposta a literatura gera uma incrível idealização dos estados de alma. Como exemplo, podem-se citar as reações causadas pelo "suposto medo da morte". Com isso, o autor transforma a alma indígena em correlativos dos seus próprios movimentos, sublinhando a afetividade e o choque entre os afetos: há uma interpenetração de afetos (amor. ódio, vingança etc.) que estabelece uma harmonia romântica entre o ser que esta sendo julgado e a sua natureza a natureza indígena, com a conseqüente preferência pelas cenas e momentos que correspondem ao teor das emoções. Daí as avalanches de bravura e de louvor à honra e ao caráter.

Clique aqui para ver todos os resumos de livros

 

  Dizem que: Há 3 coisas na vida que não volta atrás:
-Uma flecha lançada;
-Uma palavra pronunciada;
-Uma oportunidade perdida.
Provérbio chinês

Copyright 2004-2012 www.PobreVirtual.com.br / www.Zmaro.com.br
Para informações sobre reprodução entre em contato com webmaster@pobrevirtual.com.br